Curiosidades sobre o Porto

Tesouros, segredos e particularidades

Os martelinhos de São João foram criados no ano de 1963 pelo industrial Manuel António Boaventura, da Fábrica Estrela do Paraíso, em Rio Tinto.  Ver mais…

Porque razão trocamos os “v’s” pelos “b’s”? Betacismo é o fenômeno linguístico que consiste na troca da pronúncia do v por b. Ver mais…

Ponte Pênsil D. Maria II ou a Palácio de Cristal foram tesouros arquitectónicos que o Porto viu desaparecer com o tempo. Aqui trazemos á memória 5 das maravilhas desaparecidas do Porto. Ver mais…

.

Castelo do Queijo - A origem do peculiar nome

O verdadeiro nome é Forte de São Francisco Xavier, mas é conhecido entre os portuenses como Castelo do Queijo, este peculiar nome foi devido ao castelo ter sido construído em cima de uma rocha de granito cujo formato arredondado fazia lembrar um queijo.

Esta designação terá surgido no século XVII, quando o forte foi construído para defender a costa dos ataques dos piratas vindos do Norte de África.

Reproduzir vídeo

curiosidades históricas Porto

Porto de Artur Pastor

Ribeira do Porto década de 50 / 60 por Artur Pastor.

O fotógrafo construiu uma extensa obra que serviu de base à fototeca ministerial, com mais de 10.000 imagens documentando todo o tipo de trabalhos, espécimenes e cenas agrícolas, ou equipamentos técnicos do Estado.  Ver mais

Francesinha á Moda do Porto

Consta que a criação da mítica Francesinha á moda do Porto terá sido por volta de 1952 e que na sua forma original era servida com bife de perna de porco assada em pão bijou. Esta terá sido inventada logo após ao fracasso de tentar implementar “croque monsieur” junto dos portuenses. Ver mais…

D. Pedro IV doou o seu Coração ao Porto

Em gratidão pelos sacrifícios suportados pelos portuenses durante o Cerco do Porto, D. Pedro, IV de Portugal e I do Brasil, doou o seu coração em testamento à cidade do Porto, hoje está preservado na capela-mor da Igreja da Lapa. Também pode ser visto no centro do antigo Brasão da Cidade do Porto, assim como no símbolo do FCP.

Coração de D. Pedro IV está guardado a cinco chaves e precisa de mil cuidados.

São precisas seis pessoas para chegar até ao coração, numa operação que implica sempre riscos para a relíquia.

Até ao século XVI, os membros da nobreza portuguesa estiveram proibidos de viver no Porto

Até meados do século XVI, os membros da nobreza estiveram proibidos de viver no Porto.

Em 1339, D. Afonso IV restringe a permanência de fidalgos no Porto.

Nobres e altos membros do clero ficam assim proibidos de comprar casa na cidade, sob pena de expropriação; ficam impedidos de permanecer dentro das muralhas, sob pena de prisão. Os nobres ficam, ainda, obrigados a pagarem por tudo que consumissem, sob pena de apreensão dos seus cavalos.

Em 1374, D. Fernando por carta ordena expressamente aos nobres do reino que não permanecessem no Porto por mais de três dias.

Várias vezes, os nobres tentaram contornar as proibições. O caso de Rui Pereira ( 1475) ficou celebre quando se recusou a sair do Porto. Os homens do concelho avisaram-no três vezes para sair, como era costume. Pediram, ainda, ao bispo do Porto para dissuadir o nobre de contrariar os direitos ancestrais da terra. Rui Pereira insistiu em ficar. O povo juntou-se e ateou fogo à casa, situada na Rua Nova, hoje rua do Infante D. Henrique. O nobre conseguiu fugir com vida para a margem esquerda do Douro até às Terras de Santa Maria da Feira. 

curiosidades sobre o porto

Expressão "Fino como o alho"

Diz-se que um indivíduo é “fino como o alho” ou “fino que nem um alho” se ele é muito esperto, muito sagaz e astucioso. A expressão terá sido originada pela personalidade do mercador portuense Afonso Martins Alho, que foi responsável pelo tratado de 1353, no reinado de D. Afonso IV, entre a Inglaterra e Portugal e que, pela sua sagacidade, o povo eternizou.

fino como alho origem

Aurélio Paz dos Reis (Porto, 28 de Julho de 1862 — Porto, 18 de setembro de 1931) foi um comerciante floricultor português, fotógrafo amador que deixou um valioso acervo fotográfico, revolucionário republicano e maçom convicto, considerado o pioneiro do cinema em Portugal por ter realizado e produzido os primeiros filmes portugueses como a A Saída do Pessoal Operário da Fábrica Confiança, que é por sua vez, uma réplica do primeiro da história do cinema, rodado em França pelos irmãos Lumière, em (1894 – 1895) La Sortie de l’usine Lumière à Lyon.

Reproduzir vídeo

Corria o ano de 1872, quando começaram a circular na cidade do Porto os chamados Carros Americanos, que consistiam em carruagens rebocadas por animais. A Invicta tornou-se assim a primeira cidade portuguesa a ter os carros americanos, que circulavam sobre carris. Em  1895, a linha entre o Carmo e a Arrábida é electrificada, tornando-se o Porto a primeira cidade da Península Ibérica a ter carros elétricos. Atualmente, os carros elétricos são um símbolo da cidade e levam a sua história além fronteiras. Um dos carros elétricos do Porto, de 1929, está em São Francisco, EUA, na Market Street Railwal.

Com mais de 120 mil documentos já está disponível online, este arquivo conserva a documentação produzida pela autarquia portuense desde a Idade Média, bem como diversos arquivos de ordem particular e colecções. Ver mais

Palácio de Cristal

 Video da Antiga Feira Popular nos jardins do Palácio de Cristal em 1975 por António Tavares.

Reproduzir vídeo

Restaurantes & Casas de Fado

As melhores casas de Fado do Porto, restaurantes com Fado ao vivo e apresentações diárias pela Baixa  
Rui Pina retrata a monarquia e a plebe da Invicta. Como um antropólogo do contemporâneo consegue captar as essências, as armaduras, os anseios, os perfumes, as dores e as angustias (…)
10 ebooks e 13 sites onde pode descarregar milhares de livros gratuitamente.

Eventos em Família

O que fazer com a familia este fim de semana…Atividades e Eventos no Porto para miúdos e graúdos.(…) 

Música ao Vivo

Os melhores locais com música ao vivo onde reinam os sons do jazz e do blues na Cidade do Porto (…)
Os “Pequenos Paraísos” dentro da cidade do Porto. Para fazer caminhadas ou correr, passear os cães ou simplesmente ler um bom livro (…)

curiosidades históricas Porto, Efemeridades sobre o porto, factos históricos sobre o porto