Divulgação de Eventos Culturais no Porto

Entrevista

Um Dia Perfeito no Porto | Opinião dos Azeitonas

Aproveitamos o regresso aos palcos dos Azeitonas para conhecermos a "banda sonora" ideal do porto

A banda portuense, responsável por hits como “Anda Comigo Ver Os Aviões” ou “Quem És Tu Miúda”, lançou recentemente um novo single: “Guitarrista do Liceu”, está a ter muito bom feedback e liga Lisboa ao Porto através da música. Para além disso, também irão lançar brevemente um disco acústico e dia 29 de Maio vão estar no Super Bock Arena com convidados especiais.

Entrevista

(ACP) As origens portuenses continuam a inspirar a banda para compor novas musicas?

(AZ) “Tudo o que nos rodeia serve de inspiração. Como vivemos no Porto é natural que as nossas composições tenham referências de variados lugares da cidade.”

(ACP) Para além da vossa estimada Dona Urraca ter mudado de nome, que outras mudanças destacariam nos espaços culturais da cidade ao longo dos últimos anos?

(AZ) “Nós somos mais do tempo do POP que foi Dona Urraca e que agora é outra vez Dona Urraca.  Alguns espaços culturais mais pequenos emergiram na forma de bar.
Infelizmente, em espaços onde a música ao vivo é a principal actividade, fica difícil dar retorno financeiro. É uma questão cultural.
Temos agora um excelente equipamento, o Superbock Arena para concertos de grandes dimensões em espaço fechado. Algo que não havia na cidade.”

(ACP) “Banda Sonora” é o nome do vosso ultimo disco editado. Se a cidade do Porto fosse um filme, qual a banda sonora que não poderia faltar?”

Nena – “Eu escolheria a música do genérico da sitcom “Cheers“.
Uma das maiores maravilhas da Invicta são as pessoas. O Porto é uma cidade pequena, toda a gente se conhece, e há uma confraternização invejável.”

Marlon – ““Tilhas? São Sapatilhas” Mind da Gap.
É uma expressão bem portuense “tilhas”.”

Salsa – ““Homeward Bound”, de Paul Simon, imortalizada pelo duo com Art Garfunkel. Por ser casa.”

(ACP) “Se a música é boa, quase nunca dá pro torto”… Podemos esperar um próximo álbum que nos ajude a retomar a boa disposição no pós-pandemia, sem dar para o torto?


(AZ) Vamos ter álbum com certeza. Sempre compilámos músicas que expressam todo o tipo de sentimentos. Por isso, haverá um pouco de tudo

(ACP) Para vós, como seria um dia perfeito passado no Porto?

(AZ) Começar o dia com um passeio junto ao rio entre as pontes D. Luiz I e a do Freixo para aproveitar o Sol da manhã.

Subir o elevador dos guindais aproveitando a vista seguindo em direcção ao Restaurante Rogério do Redondo para um repasto de alto gabarito.
Em seguida, e sempre a pé, seguimos em direção à praça da Batalha para uma visita à loja Kate/Muzak que tanto é uma loja de skate(Kate) como loja de discos de vinil (Muzak).
Com a fome já a bater de novo podemos sempre ir à casa de presuntos “O Chico” na rua do heroísmo beber um copo de tinto e uma bela sande de presunto.
O Sol já se vai pondo, podemos sempre ir beber um copo pre jantar aos Maus Hábitos e jantar no restaurante “O Escondidinho” um clássico da cidade mesmo ao lado.
Depois do jantar podemos sempre voltar aos maus hábitos para depois ir ainda dar um pé de dança ao Passos Manuel.
Final de noite início da madrugada a fome aperta de novo e terminamos esta viagem no Paju, em Faria Guimarães, que nos serve sempre a la carte, a altas horas, todo o tipo de pratos tradicionais, mas começamos sempre pelos ovos verdes e depois logo se vê…

(ACP) Obrigado aos três 🙂

Um Dia Perfeito no Porto | Opinião dos Azeitonas

Entrevista a Luís de Matos
Portal de Informação
Perguntamos ao maior ilusionista português para nos explicar a “magia do Porto”
Tudo sobre a Francesinha à moda do Porto

Os melhores restaurantes

Descobre a melhor receita de molho de francesinha. A história e origem deste prato mítico do Porto.
Praça Almeida Garrett, Porto ©JOÃO CABRAL
O Porto pela lente de João Cabral

Fotografia de Rua

Uma extensa obra de imagens intemporais que se dissolvem com a intensa melancolia do nevoeiro que paira no Porto.
Fica a par das novidades!

Um Dia Perfeito no Porto | Opinião dos Azeitonas

Entrevista