Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

O guia de eventos mais completo e atualizado do Porto

Tripeiros

por Rui Pina

Projeto Social e Fotográfico de Rui Pina

Este projeto fotográfico tem como distintiva ambição social resgatar a dimensão humana e humanizada das pessoas que habitam a cidade do Porto, e materializar um impacto concreto e positivo nas suas vidas. Ao mostrar o lado forte e singular de quem habita o Porto, Rui Pina procura equilibrar a balança social e económica que está a deixar esta cidade vazia. Procura-se fazer a ponte com quem é fotografado, e concretizar necessidades ou sonhos que as pessoas partilharam connosco. Se quiser ajudar, pode contribuir através da: i) aquisição de um postal cujo valor reverte integralmente para a pessoa da imagem; ou ii) tornando-se mecenas do projeto, o que permitirá um apoio continuado, e lhe garante o acesso ao desenlace da nossa ação sobre a vida destas pessoas e a nossa proposta de análise coletiva sobre as dificuldades de viver no Porto.

tripeiros rui pina fotografia

Maria da Conceição Teixeira

Natural de braga, veio para o Porto com 5 anos. Reside agora em Santo Ildefonso.
Conta que sobe e desce 108 escadas, todos os dias, para entrar e sair de casa. “Moro sozinha com Deus e com as pombas”. Estas são alimentadas por ela, todos os dias, do telhado do seu pequeno castelo: “Vivo no céu!”

Se adquirir um postal (100×150) o valor será distribuído por quem se encontra na fotografia.

Na carteira carrega memórias

Traz sempre consigo uma fotografia do marido e uma dela própria tirada em Faro no dia 30 de Julho de 1956 tinha ela 18 anos. 

José Manuel

 Passa os dias na Rua Sá da Bandeira onde foi tirada esta fotografia, agora do outro lado da estrada. “Ficou tudo em obras daquele lado, nem a confeitaria que me ajudava todos os dias se aguentou!”

Se adquirir um postal (100×150) o valor será distribuído por quem se encontra na fotografia.

Bio

Rui Pina 

Membro de uma das bandas de culto do panorama do Hip Hop nacional, os Dealema. Nasceu no Bairro da Previdência, em Ramalde, numa altura em que o flagelo das drogas pesadas atingia o seu ápice. Quem diz que nos dias de hoje o Porto é perigoso e violento não viveu nos bairros na década de 90. Atualmente, qualquer pessoa pode entrar no Bairro da Previdência, de Aldoar ou de Fonte da Moura, à noite, com um Iphone topo de gama, e nada acontece! Os tempos mudaram. Nos anos 90, nem sequer era aconselhável entrares se não fosses conhecido ou amigo de alguém. 
Expeão viu e viveu uma altura em que a decadência e o vício caminhavam juntos. A realidade dura fazia com que os portuenses que viviam em bairros fossem mais resistentes e desembaraçados. O Hip Hop nasce desse desconforto e dessa desigualdade misturada com uma generosa dose de criatividade! Assim rompe um Expeão: com a vontade de expor e denunciar os contrastes do bairro, de um “excitante Bairro”, como um grito pela justiça social!
A arte de Rui Pina não se manifesta apenas na música. Ela derrama para o mundo da fotografia. Rui Pina regista o seu olhar pelas ruas do Porto com a mesma sensibilidade que o caracteriza enquanto músico. Aí retrata a monarquia e a plebe da Invicta, com a mesma intensidade. Como antropólogo do mundo contemporâneo, consegue captar as essências, as armaduras, os anseios, os perfumes, as dores e as angústias de quem retrata.
Esta paixão já deu frutos e fê-lo ganhar vários prémios internacionais. Foi selecionado como o Melhor Português, no Mira Mobile Prize, em 2017.
Eventualmente, se não o encontrares pelas ruas do Porto, sempre podes visitar o artista aqui.
Texto: Miguel Aguiar

tripeiros rui pina fotografia

O porto de Artur Pastor

O Porto de Artur Pastor

Fotografia

Ribeira do Porto década de 50 / 60 por Artur Pastor. O fotógrafo construiu uma extensa obra que serviu de base à fototeca ministerial, com mais de 10.000 .

Pintura

Elias Lazaroni é um artista que a cidade do Porto roubou ao Rio de Janeiro. O pincel do carioca é extravagante quebrando padrões estéticos e morais.(…)
Sabe qual é a origem do nome Castelo do Queijo ou da expressão “Fino como o alho”? (…)

Tripeiros por Rui Pina

Projecto Social | Tripeiros