O guia de eventos mais completo e atualizado do Porto

Dealema no Palavras Soltas

Dealema no Palavras Soltas

Cine-Teatro Eduardo Brazão
21h30

O “Palavras Soltas” está de volta ao Brazão, desta vez ao ritmo do Hip-Hop pela mão dos Dealema.

O projeto “Palavras Soltas” consiste num conjunto de conversas com artistas que usam a Palavra como matéria-prima para as suas criações. Escritores como Richard Zimler e Francisco Miguel Viegas, ou compositores e intérpretes, como Simone de Oliveira, Sérgio Godinho, Moonspell, Toy, Manel Cruz e, mais recentemente, Luísa Sobral e Bárbara Tinoco fazem parte do catálogo de boas memórias do “Palavras Soltas”.

Durante as sessões de “Palavras Soltas”, os artistas convidados partilham os seus processos criativos, bem como momentos marcantes das suas carreiras, em conversas conduzidas por Jorge Oliveira (jornalista/pivô de informação RTP) e Tito Couto (jornalista/editor), havendo lugar à participação do público.

Dealema
Os Dealema são um dos mais antigos grupos de Hip-Hop português, criado na década de 90, com membros de Gaia e do Porto. Começaram com a fusão de dois projetos – Factor X que juntava Mundo Segundo e DJ Guze, e Fullashit na qual estavam Fuse e Expeão – entretanto conheceram o quinto elemento Maze, e todos juntos formaram os Dealema, que há 20 anos se mantêm no ativo exatamente com a mesma formação. MC’s de língua afiada e com um extenso vocabulário, todos os membros da banda são também produtores, o que tem gerado um crescente número de fãs não apenas em Portugal, mas em outros países de língua oficial portuguesa onde a banda tem uma base cada vez mais sólida de seguidores. Tem sido também essa faceta que tem proporcionado aos Dealema diversas colaborações dentro e além fronteiras com artistas de peso no cenário hip-hop e soul.O primeiro trabalho dos Dealema a ver a luz do dia surge em 1996, ano em que apresentam o mítico “Expresso do Submundo” que foi recentemente reeditado em formato K7, uma prenda aos fãs que nunca tiveram acesso comercial a este disco. Seguiu-se o álbum homónimo em 2003 que arrebatou a crítica e o público. Nesse ano, começava a aventura mediática dos Dealema que foram capa de muitas revistas e tocaram nos maiores festivais de música em Portugal. A discografia mostra-nos logo depois em 2008 o “V Império” que viria confirmar o estatuto da banda, consolidando o eixo Porto/Gaia como a nação do hip-hop em Portugal.Dois anos mais tarde, a convite do Henrique Amaro, associam-se numa parceria de sucesso à NOS Discos editando o EP “Arte de Viver” que catapultou os Dealema para a ribalta mostrando que o hip-hop não tem que ser negro para ser forte. Em 2011 a banda volta aos beats pesados e à lírica mais negra com “A Grande Tribulação”. Neste disco o pentágono pinta a tela do momento pré apocalíptico que paira sobre a humanidade. Como sempre a sua mensagem pretende de forma direta provocar no ouvinte sentimentos concretos tendo como veículo a poesia e ambientes carregados de intensidade.A terminar o ano de 2013 chegou a “Alvorada da Alma”, que é um regresso às origens, onde tudo começou, à paixão pela música desde o primeiro momento até ao que ela representa hoje. O trabalho conta pela primeira vez com 12 convidados, alguns deles nomes internacionais da cena hip-hop e outros vindos de universos musicais distintos do rap, denunciando uma diversidade sonora que se consagrou grandiosa. Cada convidado encaixa na perfeição nesta alvorada, cedendo os ingredientes da sua identidade a uma composição de 13 canções que têm em “Bom dia” o single de avanço com mais airplay de sempre dos Dealema.Neste ano de 2016, o coletivo cumpre na estrada duas décadas de carreira dedicadas ao hip-hop prometendo levar o pentágono de Norte a Sul do país, potencialmente com alguns concertos especiais de retrospetiva do seu repertório.
“Um dos grandes trunfos destes disco é a coesão estética e sonora que o percorre”In Arte Sonora, por Nero
“Fuse, Maze, Expeão e Mundo mostram estar em forma e energizados por esta nova atitude perante a vida e a arte e apresentam em Alvorada da Alma algumas das suas melhores performances”In Blitz, por Rui Miguel Abreu
“Sem renegarem o passado, os Dealema fazem do novo disco um louvável hino de maturidade, a que não falta um diálogo constante entre o hip-hop, o r n’b, a soul ou o funk”.In Jornal de Notícias, por Sérgio Almeida
“Alvorada da Alma é um disco capaz de converter novos seguidores ao hip-hop. Melhor é impossível”.In Tentações da revista SÁBADO, por Pedro Salgado
“É um talento raro este: saber sujar-se na podridão da vida, encontrar a luz e a beleza e transformá-la num manifesto artístico”.In Time Out Porto e Time Out Lisboa, por Ana Patrícia Silva
Hip-hop à antiga, assente nos sons clássicos que lhe deram origem – soul, funk, rn’b, – a servirem rimas meticulosas, cada sílaba no sítio certo, em perfeita harmonia com os beats. Um estrondo de disco”.In Ípsilon do PÚBLICO, por João Bonifácio
Evento de entrada livre, limitado à lotação do espaço com reserva obrigatória através do email [email protected] Esclarecimento de dúvidas através do número 223 742 462 | Limite de reserva: 2 bilhetes por pessoa

Os Dealema são um dos mais antigos grupos de Hip-Hop português, criado na década de 90, com membros de Gaia e do Porto. Começaram com a fusão de dois projetos – Factor X que juntava Mundo Segundo e DJ Guze, e Fullashit na qual estavam Fuse e Expeão – entretanto conheceram o quinto elemento Maze, e todos juntos formaram os Dealema, que há 20 anos se mantêm no ativo exatamente com a mesma formação.

MC’s de língua afiada e com um extenso vocabulário, todos os membros da banda são também produtores, o que tem gerado um crescente número de fãs não apenas em Portugal, mas em outros países de língua oficial portuguesa onde a banda tem uma base cada vez mais sólida de seguidores. Tem sido também essa faceta que tem proporcionado aos Dealema diversas colaborações dentro e além fronteiras com artistas de peso no cenário hip-hop e soul.

O primeiro trabalho dos Dealema a ver a luz do dia surge em 1996, ano em que apresentam o mítico “Expresso do Submundo” que foi recentemente reeditado em formato K7, uma prenda aos fãs que nunca tiveram acesso comercial a este disco. Seguiu-se o álbum homónimo em 2003 que arrebatou a crítica e o público. Nesse ano, começava a aventura mediática dos Dealema que foram capa de muitas revistas e tocaram nos maiores festivais de música em Portugal. A discografia mostra-nos logo depois em 2008 o “V Império” que viria confirmar o estatuto da banda, consolidando o eixo Porto/Gaia como a nação do hip-hop em Portugal.

Dois anos mais tarde, a convite do Henrique Amaro, associam-se numa parceria de sucesso à NOS Discos editando o EP “Arte de Viver” que catapultou os Dealema para a ribalta mostrando que o hip-hop não tem que ser negro para ser forte. Em 2011 a banda volta aos beats pesados e à lírica mais negra com “A Grande Tribulação”. Neste disco o pentágono pinta a tela do momento pré apocalíptico que paira sobre a humanidade. Como sempre a sua mensagem pretende de forma direta provocar no ouvinte sentimentos concretos tendo como veículo a poesia e ambientes carregados de intensidade.

A terminar o ano de 2013 chegou a “Alvorada da Alma”, que é um regresso às origens, onde tudo começou, à paixão pela música desde o primeiro momento até ao que ela representa hoje. O trabalho conta pela primeira vez com 12 convidados, alguns deles nomes internacionais da cena hip-hop e outros vindos de universos musicais distintos do rap, denunciando uma diversidade sonora que se consagrou grandiosa. Cada convidado encaixa na perfeição nesta alvorada, cedendo os ingredientes da sua identidade a uma composição de 13 canções que têm em “Bom dia” o single de avanço com mais airplay de sempre dos Dealema.

Neste ano de 2016, o coletivo cumpre na estrada duas décadas de carreira dedicadas ao hip-hop prometendo levar o pentágono de Norte a Sul do país, potencialmente com alguns concertos especiais de retrospetiva do seu repertório.

“Um dos grandes trunfos destes disco é a coesão estética e sonora que o percorre”

In Arte Sonora, por Nero

“Fuse, Maze, Expeão e Mundo mostram estar em forma e energizados por esta nova atitude perante a vida e a arte e apresentam em Alvorada da Alma algumas das suas melhores performances”

In Blitz, por Rui Miguel Abreu

“Sem renegarem o passado, os Dealema fazem do novo disco um louvável hino de maturidade, a que não falta um diálogo constante entre o hip-hop, o r n’b, a soul ou o funk”.

In Jornal de Notícias, por Sérgio Almeida

“Alvorada da Alma é um disco capaz de converter novos seguidores ao hip-hop. Melhor é impossível”.

In Tentações da revista SÁBADO, por Pedro Salgado

“É um talento raro este: saber sujar-se na podridão da vida, encontrar a luz e a beleza e transformá-la num manifesto artístico”.

In Time Out Porto e Time Out Lisboa, por Ana Patrícia Silva

Hip-hop à antiga, assente nos sons clássicos que lhe deram origem – soul, funk, rn’b, – a servirem rimas meticulosas, cada sílaba no sítio certo, em perfeita harmonia com os beats. Um estrondo de disco”.

In Ípsilon do PÚBLICO, por João Bonifácio

Evento de entrada livre, limitado à lotação do espaço com reserva obrigatória através do email [email protected]

Esclarecimento de dúvidas através do número 223 742 462 | Limite de reserva: 2 bilhetes por pessoa

Fonte: http://www.cm-gaia.pt/pt/eventos/dealema-no-palavras-soltas/

Dealema no Palavras Soltas

Data

07 Dez 2023
Desde

Hora

21:30

Localização

Cine Teatro Eduardo Brazão
R. Prof. Amadeu Santos 538, 4405-594 Valadares
Credito habitacao
Segue a Agenda no Instagram!

Newsletter

Translate »