O guia de eventos mais completo e atualizado do Porto

Há verão no M.Ou.Co. e um mar de motivos para ir e voltar

Há verão no M.Ou.Co. e um mar de motivos para ir e voltar

Há mar e mar, para uns. Mas o ir e voltar de verão acontecerá, para muitos outros, no M.Ou.Co.. Não por causa da piscina do mais recente espaço multicultural da cidade do Porto, antes graças à frescura das iniciativas agendadas para preencher os vazios da chamada “silly season”. Com um “mix” de eventos para todos os gostos. Daqueles mais alternativos. Que fazem a diferença.

E é por isso que a agenda de verão do M.Ou.Co. contempla experiências tão variadas como uma masterclass de canto Dhrupad (a mais antiga forma de canto clássico hindustani, a música vocal do norte da Índia), uma aula de forró, um workshop de “upcycling” de objetos em instrumentos musicais, uma fábula musical multimédia com ares de concerto, uma sessão de trabalho sobre “storytelling” com movimento, uma “matinée” dançante de “swing & roll”, um concerto de kora (a harpa-alaúde de 21 cordas comumente utilizada na África mais ocidental), uma oficina de canto com adufe e… muito mais.

 

O arranque da programação de verão acontece já esta quinta-feira, dia (14) em que Ricardo Passos dinamiza uma masterclass de canto dhrupad, das 18h00 às 20h00.

Depois de estudar violão clássico e piano, no Conservatório do Porto, e guitarra, na Escola de Jazz do Porto, o músico viajou pelo mundo guiado pelo interesse nas sonoridades de diferentes lugares da Ásia, África, América e Europa. Estudou violão flamenco em Espanha, guembri em Marrocos, derbake, rik e bendir no Egito, saz na Turquia, tonbak e def no Irão, kuzheng na China, konnakol, canto dhrupad, pakhawaj, nagara e kanjira na Índia e percussão brasileira e cubana no Brasil.

Daí que, nas suas composições, mescle elementos da cultura oriental, como as ragas da Índia, com a polifonia da cultura ocidental. Invariavelmente com profundidade, improvisação e espontaneidade. A participação tem um custo de 35 euros. Depois deste aquecimento juliano, é em agosto que o Ciclo de Verão do M.Ou.Co. regressa em força. Confira já de seguida… M.Ou.Co. –

 

Ciclo de verão: • 6 de agosto. Das 18h00 às 22h30m, o jardim e o bar recebem a exaltação da cultura musical brasileira e das suas influências sonoras dançáveis. O DJInove Brasilidades é o mestre de cerimónias, na dinamização de uma aula de forró, seguida de um DJ Set. A participação é gratuita.

• 7 de agosto. Das 11h00 às 13h00 decorrerá o workshop “Não me descartes – toca me!”, que, em pleno jardim, ensinará a fazer upcycling de objetos – levados de casa pelos participantes – em instrumentos musicais. Trata-se duma jornada de busca pelo “som dos objetos”, que desembocará numa Orquestra Lixofónica, com os instrumentos criados durante a sessão. A participação tem o preço de 5 euros.

• 8 de agosto. Das 21h00 às 22h00, o tempo é de concerto. Acompanhado por Marian Yanchyk, no violino, e Pedro Rodrigues, na percussão, Duda (nome artístico de Eduardo da Paz, um filmmaker, editor, compositor e produtor luso-brasileiro) apresenta “4 Moinhos”, uma fábula musical multimédia para todas as idades, que mistura músicas, animações projetadas e histórias contadas. Conflitos amorosos, gentrificação, igualdade, educação e contradições são alguns dos temas abordados pela obra. A participação é gratuita.

• 14 de agosto. Das 11h00 às 13h00, o jardim do M.Ou.Co. acolhe um workshop sobre storytelling com movimento, por Eduardo da Paz. Como construir uma fábula? Como contar uma história através do som, ritmo, imagem e movimento? A ideia da sessão é inspirar, trazer ideias e ajudar a encontrar a(s) forma(s) de apresentar e contar a história de cada pessoa – porque cada um de nós tem muitas histórias para contar. O preço de inscrição é de 5 euros.

• 17 de agosto. É dia de Mouco´s Lindy Hop Matinee e de Porto Swing Jam Warm up. Ou seja, um final de tarde e início de noite vintage dançante, de Swing´n´Roll (dos anos 20 aos anos 60) com o Deejay Joe, que contempla também um workshop de Lindy Hop, com Boots & Andy, que vão ensinar a cada participante o ritmo e a diversão desta dança original. O workshop de iniciação começa às 18h00 e o do DJ Set decorrerá das 19h00 às 22h30, no interior e exterior do Bar M.Ou.Co.. A participação é gratuita e não há qualquer razão para não “Swing It Like You Mean It”.

• 20 de agosto. Das 20h30 às 21h30, o jardim do M.Ou.Co. recebe Mbye Ebrima para um concerto de kora (harpa-alaúde de 21 cordas). Korista, compositor, cantor e contador de história oral, Mbye Ebrima nasceu na Gâmbia numa família de tocadores de kora e reputados conhecedores e divulgadores da história oral mandinga-kaabunké há muitas gerações. Fixou residência em Portugal, onde ainda hoje reside e trabalha como músico. Na sua carreira musical, Ebrima tem tocado nos mais diversos palcos, festivais e espetáculos (Coliseu do Porto; ZIFF Festival, Tanzânia; VII Noia Harp Fest, Galiza; Festival Iminente, Lisboa; World in Harmony, Lisboa) e tem colaborado com diferentes músicos como Selma Uamusse, Pedro Jóia, Moullinex, Remna, Eneida Marta, Kimi Djabaté, Marta Miranda, entre outros. Atualmente, grava dois álbuns para os seus projetos com a banda e a solo, que se caracterizam por sonoridades que vão da world music e world fusion, ao blues e música tradicional Mandinka. A participação é gratuita.

• 21 de agosto. Depois do concerto, Mbye Ebrima ministrará, das 11h00 às 13h00, no jardim do M.Ou.Co., um workshop de kora, em que os participantes poderão experimentar o instrumento e perceber melhor o seu funcionamento. Mbye Ebrima vai explicar a filosofia da sua música e partilhar alguns exercícios práticos para melhor aprendizagem do instrumento – construído a partir de uma grande cabaça, cortada ao meio e coberta com pele de vaca, para fazer de ressonador, e com um longo pescoço de madeira. A pele é sustentada por duas alças que passam por baixo. Possui 21 cordas, cada uma das quais reproduz uma nota diferente. A inscrição tem um custo de 10 euros.

• 27 de agosto. Das 20h00 às 21h00, Cleison Monteiro, músico e compositor brasileiro, dá um concerto no jardim. Nascido em Belém do Pará, o artista traz ao Porto a pronúncia e os argumentos afro-ameríndio-amazónico de signo caboclo. Violeiro, porque assim pulsa a lida, cordas e palavras ecoam (ir)relevâncias e necessidades humanas num trato rítmico particularmente autêntico.

• 28 de agosto. Ana Trabulo dinamiza uma oficina de canto com adufe, das 11h00 às 13h00. A artista tem divulgado o canto e o toque de adufe através de workshops e aulas (Porto, Oxford, Londres, Tessalónica…). Integra o grupo de canto e toque de adufe e outras percussões CRUA. Nos últimos anos tem explorado a construção do adufe e tem-se dedicado às Produções do Carvalho (produção de eventos e outros projetos, como por exemplo o Porto Folk Gathering, Folk Marathon, Folkarago, Sigamundo). A participação tem um custo de 5 euros.

DJ Sets do Ciclo de Verão:

• 5 de agosto. DJ Flashboredom, das 18h30 às 22h30, no Bar M.Ou.Co.

• 12 de agosto. DJ Supercrush, das 18h00 às 22h30, no Bar M.Ou.Co.

• 19 de agosto. DJ Bruma, das 18h00 às 22h30, no Bar M.Ou.Co.

• 26 de agosto. DJ Manifiesta, das 18h00 às 22h30, no Bar M.Ou.Co.

SOBRE O M.Ou.Co.: M.Ou.Co. é o acrónimo de Música e Outras Coisas. Localizado no coração da cidade Invicta, mais precisamente na zona do Bonfim, este é o primeiro hotel do País com um conceito multidisciplinar e assumidamente dirigido para o mundo musical. Com 41 estúdios e 21 quartos (repletos de evocações artísticas), restaurante, bar, piscina, esplanada e jardins, o complexo ocupa um total de cerca de cinco mil metros quadrados e assume-se como um espaço cultural de eleição. Para dar expressão máxima àquele que é o seu claim – “Stay. Listen. Play” -, o M.Ou.Co. dispõe de uma sala de concertos, três salas de ensaios, uma musicoteca, um espaço de saúde e bem-estar do músico e… uma infinidade de pormenores distintivos que convidam a uma descoberta prolongada e a uma experiência hoteleira repleta de sentido(s). O espaço aposta numa programação própria, que dá destaque a projetos musicais de relevo, tanto nacionais como internacionais. Tal como uma banda sonora, todos os seus cantos e recantos respiram histórias. E os animais também são bem-vindos.

Há verão no M.Ou.Co. e um mar de motivos para ir e voltar

Data

05 Ago 2022
Expired!
M.Ou.Co

Localização

M.Ou.Co
R. de Frei Heitor Pinto 65, 4300-252 Porto

Newsletter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.